Capa

LUTAS

DUDA MANTÉM O CINTURÃO MUNDIAL PELA SEGUNDA VEZ

Ela derrotou a colombiana Paola Rojas, na madrugada deste domingo, no Maksoud Plaza. Tatiana, ex-BBB, venceu por nocaute em sua estréia profissional.

17.06.2007  |  369 visualizações
São Paulo (SP) - A sérvia Duda Yankovich mostrou mais uma vez a sua força. Ela defendeu pela segunda vez o cinturão de campeã mundial superleve (63,5 kg), versão Associação Internacional Feminina de Boxe (Wiba), a mais prestigiada entidade feminina da modalidade, na madrugada deste domingo, ao derrotar por pontos por decisão unânime a colombiana Paola Rojas, no Hotel Maksoud Plaza, em São Paulo. Esta foi a nona vitória na carreira profissional da invicta Duda, que tem cinco nocautes.

Numa noitada de cinco combates, que reuniu cerca de 900 pessoas no pavilhão de eventos do luxuoso hotel paulistano, Duda fez a luta mais esperada. Ela dominou os dez rounds, acertou diversos golpes na adversária, que quase foi a nocaute no último assalto, e recebeu o cinturão das mãos do presidente da Wiba, o norte-americano Ryan Wilson. A resistência física, aliás, foi a maior virtude de Paola Rojas, que tentou pela terceira vez na carreira o título mundial.

“Este combate me deixou mais confiante ainda. Acho que lutei bem e o meu preparo físico está excelente. Agüentei os dez rounds e poderia lutar mais alguns. Se tivesse mais 30 segundos de luta teria vencido por nocaute”, comentou a musa do boxe brasileiro, muito sorridente, vestindo uma camiseta em que agradecia o apoio e ensinamentos de seu técnico Miguel de Oliveira, ex-campeão mundial de boxe. “Faltou administrar melhor a distância. Por isso, não consegui encaixar o meu gancho no contra-ataque.”

Radicada há sete anos no Brasil, a ex-atleta de kickboxing e caratê não precisa defender mais o seu título de campeã mundial em 2007. Apesar disso, pretende lutar em setembro, provavelmente nos Estados Unidos, para ganhar mais experiência. “Vou ainda conversar com os meus agentes da Sport Promotion, mas gostaria de lutar nos Estados Unidos. Um combate preparatório para a próxima defesa do título”, disse a lutadora de 30 anos, 1,68 m e 63 kg, que vai tirar agora uns dias de férias para trabalhar como repórter da TV Bandeirantes na cobertura dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro. “Vou mostrar o lado humano dos atletas, as dificuldades, os sacrifícios, os esforços realizados para disputar uma competição importante internacional.”

Campeão satisfeito - Miguel de Oliveira ficou satisfeito com o desempenho de sua atleta. “Ela mostrou que está melhorando a cada combate, mais adaptada ao ritmo do boxe. Terminou os dez rounds sem mostrar cansaço ou ofegante”, lembrou o treinador da Cia Athlética. “Claro que todos esperam um nocaute, que é o ápice do boxe, mas uma grande campeã é forjada numa seqüência de lutas. A Duda mostrou autocontrole e a adversária agüentou uma loucura de golpes.”

Nas lutas preliminares, o destaque foi para a vitória por nocaute aos 24 segundos do quinto round de Simone da Silva Duarte sobre a colombiana Paola Herrera. Com isso, a brasileira manteve o cinturão sul-americano da Wiba no peso galo (53,5 kg). “Mostrei que estou bem preparada e confiante. Enfrentei uma adversária fechadinha, bem plantada e mesmo assim consegui encaixar muitos golpes. Achei que ela cairia mais cedo”, disse a atleta, de 23 anos, que mora e treina em São Vicente (SP). “Meu objetivo é lutar em breve pelo título mundial.”

O técnico e marido Marcos Duarte acha que Simone está quase pronta para a disputa do título. Ele acha importante, porém, que a pugilista faça ainda outro combate preparatório. “Esta foi apenas a sua quinta luta profissional e ela precisa mostrar um pouco mais de tranqüilidade no ringue. O boxe não é feito apenas de nocaute. Aliás, quanto mais você procura o nocaute menos você acha. Ele é conseqüência de uma boa luta.”

Tatiana vence por nocaute - Entre as outras três lutas da noite, destaque para a estréia profissional de Tatiana Giordano, participante da quarta edição do reality show Big Brother Brasil. Também treinada por Miguel de Oliveira, ela derrotou Sueli Caroline Abreu, outra estreante, a 1min43s do primeiro round, pela categoria superleve (63,5 kg). “Entrei muito nervosa e ansiosa no ringue. Fazia muito tempo que não lutava. Além disso, é a primeira vez que toda a minha família me vê lutar, o que me deixou mais apreensiva ainda”, comentou a pugilista de 25 anos, que voltou a treinar boxe com seriedade há dois meses, depois de três anos de afastamento. “Minha primeira luta foi contra a balança. Tive de perder sete quilos para alcançar o peso exigido na categoria. Espero não ter esse problema no meu próximo combate.”

Na primeira luta do programa, categoria amadora, peso pena (57 kg), Taynná Cardoso (São Paulo/Centro Olímpico) venceu por pontos em decisão unânime Elisangela Martinez (Mogi das Cruzes). Na seqüência, já na categoria profissional, peso superleve (63,5), Leticia Giacomini Rojo (São Bernardo do Campo/Brazilian Muay Thai) derrotou Fabiana Melo dos Santos (Praia Grande) por nocaute aos 34 segundos do primeiro assalto.

O área de eventos do Maksoud Plaza recebeu um público formado por muita gente bonita e elegante, que torceu muito pelas lutadoras brasileiras. Na torcida, o jogador do Palmeiras, Edmundo, que está suspenso e não enfrenta o Goiás na tarde deste domingo. Ele nunca tinha assistido uma noitada de boxe.

João Pedro Nunes - Mtb 11.675 // Guto Francischini - Mtb 45.553
  • Simone arrasadora
    (André Stefano/ZDL)

  • Tatiana vence
    (André Stefano/ZDL)

  • Domínio de Duda
    (André Stefano/ZDL)

  • Duda mantém cinturão
    (André Stefano/ZDL)

Leia também...

Entre em contato