Capa

ATLETISMO

Troféu Maurren Maggi cumpre a missão de motivar o esporte nas escolas de São Paulo

Cerca de mil crianças de 20 escolas participaram da segunda edição da competição neste sábado (23) no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), em São Paulo

23.11.2013  |  4.462 visualizações
São Paulo (SP) - O mau tempo na capital paulistana, na manhã deste sábado (23), não atrapalhou a alegria e a vontade das mil crianças que participaram da segunda edição do Troféu Maurren Maggi, no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), em São Paulo. A competição, criada para homenagear a atleta do salto em distância pelo ouro conquistado há cinco anos, nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, e que visa incentivar crianças e jovens a praticarem o atletismo, contou com a presença da campeã olímpica, principal alvo dos alunos e potenciais atletas do futuro.

"Estamos cumprindo com o propósito de incentivar essas crianças, de 20 escolas da região metropolitana de São Paulo, com idades entre 7 e 12 anos, a praticarem o atletismo. A condição para disputar o Troféu, é que estejam matriculadas na escola. Eu sei a importância disso, pois saí de um projeto desses, em São Carlos, e muitos atletas muito bons, da minha época, tiveram esse incentivo", justificou a primeira brasileira a conquistar um ouro individual em Olimpíadas.

"Contar com um bom professor de educação física, capacitado, é um ótimo começo. Hoje, ele dispõe dos recursos de internet e pode obter muita informação. A iniciativa é ótima, queremos continuar e fazer da melhor maneira possível. A ideia é que não pare de ter o torneio e vire um evento grande, como o Troféu Brasil", analisou Maurren. "Estamos vendo a realidade. Até minha filha, Sofia, de 8 anos, competiu. Ela queria muito trazer a sapatilha para participar das provas. A escola dela não veio, mas faço questão de incentivá-la a praticar esporte, seja qual for a modalidade".

Uma convidada internacional de Maurren Maggi esteve presente no COTP, a australiana Nicole Boegman, campeã no salto em distância nos jogos de ex-colônias britânicas (Commonwealth Games) em 1994, em Victoria (CAN) e bronze em 1998, em Kuala Lumpur (MAL). Nicole, que competiu com Maurren em uma das sua últimas provas da carreira, nos Jogos da Boa Vontade (Goodwill Games), em 2001, em Brisbane (AUS), veio ao País à convite do técnico de Maurren, Nélio Moura.

"É uma ótima ideia ter uma competição como essa para as crianças. É bom ver tantas meninas e meninos participando. O sistema é bem diferente do que temos na Austrália, pois lá as crianças começam mais cedo, desde as escolinhas atléticas, já com 3 ou 4 anos. Aos 15 ou 16 já estão bem desenvolvidas. Eu sei que o futebol é o esporte mais forte no Brasil, mas acredito que seria muito bom se pudessem inserir essas crianças em equipes de treinamento desde cedo, para quem sabe um dia, ganharem uma medalha olímpica. A oportunidade oferecida pelo Troféu Maurren Maggi, vivenciando o clima do esporte, já é um ótimo começo", contou Nicole Boegman, que detém o record australiano indoor no salto em distância, com 6.81 m, marca atingida em 1995, em Barcelona (ESP).

Presidente do IMST comemora a continuidade do projeto - Quem acompanhou com atenção as provas do Troféu Maurren Maggi, foi o presidente do Instituto Memorial do Salto Triplo, Luiz Roberto Rodrigues, de 66 anos. Fundado em agosto de 2006, recebendo do Ministério da Justiça o título de OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), em dezembro do mesmo ano o IMST idealizou um projeto para homenagear a história do atletismo brasileiro.

Entretanto, com tantos modalidades presentes no esporte, decidiu-se por aquela que mais medalhas olímpicas deu para o Brasil no atletismo, o salto triplo, com seis ao todo: duas de ouro com Adhemar Ferreira da Silva (1952 e 1956), outras duas com Nelson Prudêncio, prata (1968) e bronze (1972), e mais duas de bronze com João do Pulo (1976 e 1980).

"O Instituto sempre buscou atuar em projetos sociais e educacionais, até chegarmos ao Troféu Maurrem Maggi. Dar continuidade é muito importante, pois muitas dessas crianças nunca saíram de suas comunidades. A partir do momento em que participam de um evento como esse, passam a enxergar a vida com outra perspectiva. Podem sair de uma situação ruim para algo melhor, por meio da prática do esporte, tornando-se um atleta ou um educador, por exemplo. Queremos que esse projeto se perpetue", destacou Luiz Roberto.

Atletismo unindo famílias - A manhã de sábado foi especial para as duas caçulas da família Rocha, de Itaim Paulista, extremo leste de São Paulo. Bárbara, de 7 anos e Bruna Vitória, de 12, ambas da Escola Héllio Tavares. Enquanto Bárbara ficou em segundo lugar nos 50 m, atrás de Sofia, filha de Maurren Maggi, Bruna Vitória conquistou o troféu de campeã do desafio do salto em distância, com a marca de 4 m, além da segunda colocação no revezamento 8x50m misto.

"Fiquei bem nervosa na minha vez de saltar. Até tremi um pouco. Quando comecei a correr, só pensava que tinha que correr cada vez mais para o salto ser maior. Havia uma menina que estava com a melhor marca e foquei muito para ultrapassá-la. Peguei velocidade não sei de onde e passei a marca dela", festejou Bruna Vitória, que recentemente recebeu o convite para integrar o Centro de Excelência Esportiva (CEE) de São Paulo. A jovem atleta tem como preferência o salto em distância, altura e o revezamento. Sua irmã mais nova também comemorou a medalha: "Gostei muito de correr aqui. As provas de velocidade são as minhas favoritas", comemorou Bárbara.

As duas foram acompanhadas pelos irmãos mais velhos, Willy, 13 anos, e Bianca, 14 anos, que foram ao Troféu como monitores da escola. Ambos fazem parte do Centro de Excelência de São Paulo e treinam duas vezes por semana no Conjunto Desportivo Constâncio Vaz Guimarães, no Ibirapuera. Por serem os mais velhos, eles servem como inspiração para os mais novos.

"Comecei aos 10 anos na escola e hoje o atletismo é minha vida, meu dia a dia, minha paixão mesmo." contou Bianca da Rocha, que treina o salto em distância e em altura. "Desde os 12 anos de idade pratico. Gosto mais das provas de resistência, a partir dos 800 m. Eu sinto prazer de viver em uma família em que todos praticam o esporte. Torcemos juntos um pelo outro", relatou Willy da Rocha.

Talento e treinamento para ser campeão - No desafio masculino do salto em distância, Emanuel Rodrigues Moura, de 12 anos, da Escola Engenheiro Mario Salles Souto, de Carapicuíba, encheu de orgulho seu treinador, Aparecido Santos, de 52 anos. Com a marca de 4.05 m, Emanuel levou o troféu do desafio e vibrou com a conquista. "Estou muito feliz. Para mim, todo dia é dia de treinar, menos sábado e domingo, quando descanso. Meu grande sonho é ser atleta e minha prova preferida é de 800 m", afirmou Emanuel, que também está acostumado a disputar as provas de salto.

"O Emanuel treina comigo há dois anos. Nós o descobrimos na ONG Pé de Moleque, que nos ajuda bastante em Carapicuíba. Mais recentemente o professor Lino, do CEE de Osasco, nos chamou e levamos os meninos para lá", contou Aparecido, professor há 28 anos. "Tentamos passar para a criançada que no atletismo os resultados só dependem deles. Se treinarem, ganham medalhas. Porém se não se empenharem, vão bater palmas para os outros. É um esporte que não precisa de dinheiro, basta usar o próprio corpo e se esforçar", concluiu.

O Troféu Maurren Maggi disputado em duas etapas, setembro e novembro, reuniu cerca de 2.000 alunos de escolas públicas e particulares da grande São Paulo no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, com a realização da Prefeitura paulistana, por meio da Secretaria de Esporte, Lazer e Recreação, e organização do Instituto Memorial do Salto Triplo (IMST).


Gustavo Coelho / Paula Otero - MTb 17268/MG
E-mail: gustavo@zdl.com.br
Telefones: 11 3285-5911 / Claro: 11 9.8457-9699
Siga a ZDL no twitter:twitter.com/ZDLcomunica
e no facebook ZDL Comunicação
  • Marreun faz demonstração
    (Fernanda Paradizo / ZDL)

  • Sofia, filha de Maurren, no salto em distância
    (Fernanda Paradizo / ZDL)

  • Abertura do Troféu
    (Fernanda Paradizo / ZDL)

  • Marreun autografa para as crianças
    (Fernanda Paradizo / ZDL)

  • Garotos em prova de velocidade
    (Fernanda Paradizo / ZDL)

  • Maurren, Nicole e Nélio Moura
    (Fernanda Paradizo / ZDL)

  • Luiz Roberto (IMST), Maurren e Fátima (CBAt)
    (Fernanda Paradizo / ZDL)

  • <p>Bruna Vitória e Maurren Maggi</p>
    (Fernanda Paradizo / ZDL)

  • Maurren com os irmãos Rocha
    (Fernanda Paradizo / ZDL)

  • Aparecido e Emanuel com Maurren
    (Fernanda Paradizo / ZDL)

Leia também...

03.03.2015

Biografia do campeão olímpico Joaquim Cruz será lançada em Campinas e São Paulo

Livro "Matador de Dragões" terá noite de autógrafos nos dias 18 e 19 de março, na livraria Cultura nas duas cidades, com presença do biografado. Obra conta com os prefácios dos jornalistas Juca Kfouri e Dorrit Harazim

15.12.2013

Atletismo: Jovens fazem a festa na Pré São Silvestrinha no Ibirapuera

Evento preparatório para a São Silvestrinha, no fim do mês, recebeu neste domingo (15) no Ibirapuera, crianças e adolescentes da grande São Paulo

12.12.2013

Pré São Silvestrinha agita o Ibirapuera neste fim de semana

Competição reunirá no domingo (15) crianças de 6 a 15 anos, na pista de atletismo do Estádio Ícaro de Castro Melo, em São Paulo

22.11.2013

Segunda edição do Troféu Maurren Maggi é atração em São Paulo neste sábado (23)

Competição contará com mais de mil crianças, entre 7 e 12 anos, de 20 escolas da capital e região metropolitana

Entre em contato