Capa

Robert Scheidt

Scheidt faz história e garante classificação para disputar a sétima Olimpíada

Bicampeão e maior medalhista do Brasil em Jogos Olímpicos, velejador de 46 anos conquistou o índice estabelecido pela CBVela ao terminar o Campeonato Mundial do Japão na 12ª colocação

09.07.2019  |  4.769 visualizações

São Paulo (SP) – Robert Scheidt faz história mais uma vez. Maior medalhista olímpico do Brasil, com cinco pódios, o velejador de 46 anos garantiu índice para os Jogos de Tóquio/2020. A vaga veio com o 12° lugar no Campeonato Mundial da Classe Laser 2019, em Sakaiminato, no Japão, na madrugada desta terça-feira (9), seis posições abaixo da linha de corte estipulada pela CBVela, que era a 18ª posição. Com o passaporte para o Japão carimbado, ele está prestes a se tornar o recordista brasileiro em participações em Olimpíadas, com sete no currículo.

“Saio do Japão com a sensação de missão cumprida e bem contente por ter dado esse passo importante, que foi cumprir o índice da CBVela e do Comitê Olímpico Brasileiro. O fato de estar elegível para a equipe do Brasil que vai competir em Tóquio, em 2020, é um motivo a mais para trabalhar, pois esse Mundial mostrou que, para atingir o objetivo de andar entre os top 5 e chegar ao top 3, ainda existem detalhes da minha velejada que preciso aprimorar. Esse vai ser o foco para os próximos meses”, comentou Scheidt, que é patrocinado por Banco do Brasil e Rolex e conta com o apoio do COB e CBVela.

Scheidt está classificado e muito perto de disputar a sétima olimpíada, mas ainda precisará esperar até a convocação. De acordo com o critério estabelecido pelo Conselho Técnico da Vela (CTV) e ratificado pela Confederação Brasileira de Vela (CBVela), o bicampeão olímpico só perde a vaga se outro atleta do Brasil for medalhista no Evento-Teste de Enoshima/2019 ou subir ao pódio no Mundial da Laser em 2020. “Vou competir na raia olímpica, em agosto, em Enoshima com objetivo de ratificar a vaga e buscar evolução para estar em condições de brigar por medalha em Tóquio”, garante Robert.

Mundial 2019 – As regatas em Sakaiminato foram de altos e baixos para Scheidt. Nos primeiros dias, com vento forte, ele andou sempre entre os top 5. A partir da flotilha ouro, a velocidade do vento diminuiu e os problemas aumentaram para o brasileiro. No último dia da competição, ele voltou a enfrentar dificuldades, cruzando a linha de chegada em 21° e 32°. Contudo, manteve a 12ª posição, 13 a frente de Bruno Fontes, concorrente direto à vaga na equipe brasileira, que terminou em 25° no geral. O título do Mundial ficou com o australiano Tom Burton.

O Campeonato Mundial foi a terceira grande competição de Scheidt em seu retorno à classe Laser. Entre o final de março e início de maio, disputou o Troféu Princesa Sofia e a Semana de Vela de Hyères. O brasileiro tem apresentado evolução constante na classe Laser. Em ambas as disputas, ficou a apenas uma posição da medal race. Além disso, Robert chegou para o Campeonato Mundial de Sakaiminato embalado pelo título europeu da classe Star. Agora, segue em busca da sexta medalha, a quarta na Classe Laser, na qual acumula os ouros em Atlanta/1996 e Atenas/2004 e uma prata (Sidney/2000).

Scheidt comenta participação - Assista o vídeo em que o velejador avalia sua participação no Mundial de Sakaiminto: https://youtu.be/-aO8zpKBMGU.

Maior atleta olímpico brasileiro

Cinco medalhas:
Ouro : Atlanta/96 e Atenas/2004 (ambas na Classe Laser)
Prata : Sidney/2000 (Laser) e Pequim/2008 (Star)
Bronze : Londres/2012 (Star) 

181 títulos - 89 internacionais e 92 nacionais, incluindo a Semana Internacional do Rio, o Campeonato Brasileiro de Laser e a etapa de Miami da Copa do Mundo, todos em 2016. Em novembro de 2017, pela Star, conquistou a Taça Royal Thames e, neste domingo, o Europeu de Star.

Laser
- Onze títulos mundiais - 1991 (juvenil), 1995, 1996, 1997, 2000, 2001, 2002*, 2004 e 2005 e 2013
*Em 2002, foram realizados, separadamente, o Mundial de Vela da Isaf e o Mundial de Laser, ambos vencidos por Robert Scheidt
- Três medalhas olímpicas - ouro em Atlanta/1996 e Atenas/2004, prata em Sydney/2000

Star
- Três títulos mundiais - 2007, 2011 e 2012*
*Além de Scheidt e Bruno Prada, só os italianos Agostino Straulino e Nicolo Rode venceram três mundiais velejando juntos, na história da classe
- Duas medalhas olímpicas - prata em Pequim/2008 e bronze em Londres/2012

Mais informações:
ZDL - Rafael De Marco / Doro Jr. - Mtb 13209
E-mail: rafael@zdl.com.br
Tels: (11) 3285-5911
Cel: 11 976022986
Whatsapp: 19 997912108

Site: www.zdl.com.br
Facebook: www.facebook.com/ZDLSports
Instagram: www.instagram.com/zdlsports
Twitter: www.twitter.com/ZDLcomunica

  • Scheidt no Mundial 2019
    (Junichi Hirai/Bulkhead Magazine Japan)

  • Robert Scheit garantiu vaga em Tóquio/2020
    (Junichi Hirai/Bulkhead Magazine Japan)

  • Robert em ação em Sakaiminato
    (Junichi Hirai/Bulkhead Magazine Japan)

Leia também...

30.06.2020

Scheidt treina forte na Itália e deve retornar às competições de vela em setembro

Bicampeão olímpico vai disputar a tradicional Semana de Kiel, na Alemanha, em setembro. Até lá, segue treinando no Lago di Garda, onde mora na Itália. Brasileiro se prepara para disputar os Jogos de Tóquio em 2021

15.04.2020

Robert Scheidt chega aos 47 anos e espera pelo presente de aniversário: voltar a velejar

Bicampeão olímpico segue treinando em sua casa, na Itália, para manter a forma física durante o período de isolamento social em função da pandemia do novo coronavírus

06.04.2020

Bicampeão olímpico Robert Scheidt entra na luta contra o novo coronavírus

Série limitada de camisetas com a assinatura do maior medalhista do Brasil em Olimpíadas terá verba revertida para compra de viseiras para profissionais da saúde que estão na linha de frente no cuidado aos infectados pela COVID-19

26.03.2020

Robert Scheidt concorre a 'Maior Nome Olímpico Brasileiro' em votação online

Bicampeão e maior medalhista do Brasil em Olimpíadas participa da eleiçãoo promovida pelo globoesporte.com. Fãs do velejado ainda podem votar

Entre em contato