Capa

Robert Scheidt

Scheidt faz balanço positivo do primeiro Europeu na 49er

Bicampeão olímpico e o proeiro Gabriel Borges aproveitaram o cancelamento das últimas regatas da flotilha prata para treinar e se preparar para o Mundial. Com duas vitórias e o 31º entre 92 barcos, dupla brasileira mostra evolução na nova classe

04.08.2017  |  820 visualizações

São Paulo (SP) – A velocidade do vento aumentou na região do Kieler Yacht-Club, em Kiel, na Alemanha, chegando a mais de 30 nós (acima de 55km/h) nesta sexta-feira (4). O resultado dessa ventania foi o cancelamento das últimas regatas da flotilha prata no Campeonato Europeu de 49er. Robert Scheidt e Gabriel Borges não quiseram saber de ‘sombra e água fresca’. Ou melhor, água quiseram, sim, mas salgada. Colocaram o barco no mar para aproveitar as condições climáticas adversas e treinaram por uma hora para se despedir da competição velejando.

Em sua primeira temporada na 49er, o bicampeão olímpico e seu proeiro fizeram de um dia perdido a oportunidade para iniciar a preparação visando o Campeonato Mundial, de 28 de agosto a 2 de setembro, na cidade do Porto, em Portugal. “O balança do Europeu é positivo. Queríamos ter feito melhor, claro, mas os resultados ruins nas quatro regatas nos deixaram muito atrás na pontuação, longe da flotilha ouro. Daí para frente, melhoramos. Mas o importante é que velejamos em altíssimo nível contra grandes iatistas. Estamos prontos para o Mundial”, avaliou Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil e Rolex, com os apoios do COB e CBVela.

Scheidt e Borges disputaram 15 regatas no Europeu, conquistaram duas vitórias e encerraram a participação em 31º lugar, com 103 pontos perdidos, entre 92 barcos. A evolução dentro da competição é comprovada pela escalada na classificação geral. Após uma estreia ruim, quando terminaram na 59ª colocação, ganharam a primeira prova no dia seguinte e subiram para a 41ª posição. Na sequência, subiram para 37º lugar e finalizaram o campeonato a um degrau do top 30.

“Aprendemos muito e deixamos Kiel um pouco melhor do que chegamos. Estreamos um novo barco aqui e sabemos que tudo faz parte do nosso aprendizado na 49er. Vamos em frente”, completou o maior medalhista do país em Olimpíada - com cinco pódios - e, que recentemente, esteve na Alemanha para a Kieler Woche, tradicional Semana de Vela de Kiel, onde conseguiu o 17º lugar.

Robert Scheidt e Gabriel Borges não treinaram sozinhos nesta sexta-feira, em Kiel. Foram para a água com as outras duplas brasileiras no Europeu, Carlos Robles Lorente/Marco Grael (terminou na 23ª colocação na classificação geral, com 82,5 pontos perdidos) e Dante Bianchi/Thomas Low-Beer (39º lugar, com 128 pontos perdidos). Na flotilha ouro, a liderança ficou com os britânicos Dylan Fletcher-Scott e Stuart Bithell, com 42,5 pontos perdidos. Eles e os outro nove barcos melhores classificados disputam a medal race neste sábado (5).

Desafio - Aos 44 anos e consagrado na Star e Laser, Scheidt disputa sua primeira temporada na 49er. Encara o desafio de velejar em um barco maior, mais veloz e com estratégias diferentes a fim de iniciar um novo ciclo olímpico, visando os Jogos de Tóquio, em 2020. Com isso, sabe que as dificuldades fazem parte do processo de adaptação às características da nova classe. E reconhece estar evoluindo gradativamente, muito auxiliado pelo proeiro Gabriel Borges.

Crescimento - A evolução de Robert na 49er pode ser comprovada pelo seu desempenho. Na Copa Brasil, no início de março, em Porto Alegre, venceu quatro regatas, as primeiras na nova categoria, conquistando a medalha de prata. Antes de competir em águas brasileiras, disputou a etapa de Miami da Copa do Mundo de Vela, em janeiro. E conseguiu o 16º lugar na disputa que reuniu 26 barcos com os melhores iatistas do planeta. Na Miami Mid Winters, também no início de 2017, obteve o 11º lugar no campeonato que envolveu 17 competidores. No final de março, correu o Troféu Princesa Sofia e novamente fez um 11º lugar. 

Maior atleta olímpico brasileiro

Cinco medalhas:
Ouro : Atlanta/96 e Atenas/2004 (ambas na classe Laser)
Prata : Sidney/2000 (Laser) e Pequim/2008 (Star)
Bronze : Londres/2012 (Star) 

176 títulos - 86 internacionais e 90 nacionais, incluindo a Semana Internacional do Rio, o Campeonato Brasileiro de Laser e a etapa de Miami da Copa do Mundo, todos em 2016

Laser
- Onze títulos mundiais - 1991 (juvenil), 1995, 1996, 1997, 2000, 2001, 2002*, 2004 e 2005 e 2013
*Em 2002, foram realizados, separadamente, o Mundial de Vela da Isaf e o Mundial de Laser, ambos vencidos por Robert Scheidt
- Três medalhas olímpicas - ouro em Atlanta/1996 e Atenas/2004, prata em Sydney/2000

Star
- Três títulos mundiais - 2007, 2011 e 2012*
*Além de Scheidt e Bruno Prada, só os italianos Agostino Straulino e Nicolo Rode venceram três mundiais velejando juntos, na história da classe
- Duas medalhas olímpicas - prata em Pequim/2008 e bronze em Londres/2012

Mais informações:
Site: www.robertscheidt.com.br
Twitter: @robert_scheidt
Facebook: Robert Scheidt

ZDL - Rafael De Marco / Doro Jr. - Mtb 13209
E-mail: rafael@zdl.com.br
Tels: (11) 3285-5911
Cel: 11 976022986
Whatsapp: 19 997912108

Site: www.zdl.com.br
Facebook: www.facebook.com/ZDLSports
Instagram: www.instagram.com/zdlsports
Twitter: www.twitter.com/ZDLcomunica

 

  • Scheidt e Borges treinam em Kiel
    (Pedro Martinez / Energy Sailing)

  • Logo Governo Federal
    (Divulgação)

  • Logo Banco do Brasil
    (Divulgação)

Leia também...

Entre em contato