Capa

Melo e Kubot disputam final de Wimbledon em busca de título inédito

Novo número 1 do mundo, tenista mineiro e seu parceiro polonês enfrentam o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic neste sábado, por volta das 12h30, com transmissão do Sportv 3 e ESPN. Dupla está invicta na grama nesta temporada, com 13 vitórias seguidas

14.07.2017  |  587 visualizações

São Paulo (SP) – O mineiro Marcelo Melo sempre afirmou que Wimbledon é seu torneio favorito e ser campeão no Grand Slam, em Londres, na Inglaterra, um grande sonho. Agora, ele está a um passo de ver o sonho virar realidade. Neste sábado (15), na quadra central do All England Club, Melo e seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, cabeças de chave 4, vão em busca desse inédito título contra o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic – cabeças 16. A final de duplas terá início por volta das 12h30 (horário de Brasília), com transmissão ao vivo no Sportv 3 e na ESPN.

Marcelo Melo entra em quadra na decisão de Wimbledon como novo número 1 do ranking mundial individual de dupla, posição conquistada após a semifinal. Kubot subiu de oitavo para quarto lugar. Junto com o polonês, Melo forma, também, a melhor dupla da temporada – são os líderes do ATP Doubles Team Race to London, que define as oito parcerias de 2017 para disputar o ATP Finals.

Será a segunda final de Marcelo Melo em Wimbledon – em 2013 ficou com o vice-campeonato, ao lado do croata Ivan Dodig, perdendo a decisão para os irmãos Bob e Mike Bryan - e a terceira de um Grand Slam. Em 2015, Melo e Dodig foram campeões em Roland Garros. 

O tenista mineiro buscará o 27º título de sua carreira e o quinto nesta temporada. Melo e Kubot já conquistaram, em 2017, dois Masters 1000 - Miami (Quadra Rápida) e Madri (Saibro) –, o ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, na Holanda (Grama) e o ATP 500 de Halle, na Alemanha (Grama). Além disso, foram vice-campeões no Masters 1000 de Indian Wells (EUA), chegando agora a sua sexta final no ano.

A dupla está invicta em quadras de grama em 2017, tendo vencido 13 partidas seguidas. No caminho até Wimbledon, Melo e Kubot conquistaram os dois torneios preparação que disputaram, na Holanda e na Alemanha. O ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, aliás, foi o primeiro título da carreira de Melo nesse piso.

Para chegar a decisão em Wimbledon, Melo e Kubot superaram três partidas em cinco sets, com mais de três horas de duração, mostrando muita concentração, foco, confiança e entrosamento. “Ao longo desses jogos, mostramos que estamos muito bem, tanto na parte física, como mental, enfrentando cinco sets, partidas difíceis, muito equilibradas, exigindo foco e confiança. Agora é continuar focados, passo a passo, como fizemos até aqui, e ir com tudo para essa final”, afirma Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis (CBT).

A campanha até a final de duplas - Para chegar à final, o mineiro Melo e o polonês Kubot precisaram jogar durante 14h10min para vencer cinco jogos. Na estreia, não tiveram problemas para bater os holandeses Wesley Koolhof e Matwe Middelkoop por 3 sets a 0, parciais de 6/4, 6/0 e 6/3. Bem diferente da segunda rodada, quando precisaram de cinco sets e 3h43min para avançar, derrotando o alemão Philipp Petzschner e o austríaco Alexander Peya por 3 sets a 2, parciais de 6/2, 5/7, 6/3, 3/6 e 11/9.

Na terceira rodada, mais uma batalha de cinco sets, desta vez com uma virada espetacular, diante do romeno Florin Mergea e do paquistanês Aisam Qureschi: 3 sets a 2, parciais de 6/7 (3-7), 4/6, 6/1, 6/4 e 6/2, em 3h22min. Nas quartas de final, eles conseguiram mais uma vitória por 3 a 0, diante dos irmãos britânicos Ken Skupski e Neal Skupski, parciais de 7/6 (13/11), 6/4 e 6/4.

Aí, voltaram a enfrentar cinco sets, em partida muito equilibrada, para ganhar dos cabeças de chave número 1, o finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers, por 3 sets a 2 - parciais de 6/3, 6/7(4/7), 6/2, 4/6 e 9/7 -, em 3h32min, e garantir lugar na decisão. A vaga foi muito comemorada pela dupla. Melo beijou a grama sagrada de Wimbledon. Kubot saiu dançando. Depois da festa, concentração para a final.

Número um, de novo – Esta é a segunda vez que o mineiro Marcelo Melo ocupa a liderança do ranking mundial individual de duplas. A primeira foi em novembro de 2015, permanecendo como número um por 26 semanas. Em 2015, aliás, ano em que terminou como melhor do mundo, Marcelo venceu seu primeiro Grand Slam: Roland Garros, em Paris, na França.

A dupla número 1 do mundo tem 33 vitórias na temporada, incluindo a 400ª da carreira de Melo, obtida na estreia em Roland Garros 2017, e apenas 9 derrotas.

Na carreira, Melo soma 26 campeonatos, recorde entre os brasileiros ao lado de Bruno Soares. E também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Madri chegou ao sétimo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016) e Miami (2017). 

Mais informações:    
Site:  
www.melomarcelo.com     
Fanpage:  
facebook.com/marcelomelo83     
Instagram: @marcelomelo83  

ZDL  
Doro Jr. -   
dorojr@zdl.com.br    - 11 984579723   
Deborah Mamone -   
deborah@zdl.com.br    - 11 3285.5911   

Site:   
www.zdl.com.br   
Facebook:   
www.facebook.com/ZDLSports   
Instagram:    www.instagram.com/zdlsports   
Twitter:    www.twitter.com/ZDLcomunica 

  • Dupla teve de superar uma difícil partida pela semifinal
    (Felipe Castanheira / Divulgação)

  • Virada espetacular contra Mergea e Qureschi
    (Peter Staples/ATP World Tour)

  • Melo e Kubot chegam a sexta final na temporada
    (Felipe Castanheira / Divulgação)

  • Invictos na grama, Melo e Kubot buscam título inédito
    (Felipe Castanheira / Divulgação)

Pesquisar no site

Leia também...